(22) 2647-3737 || Trabalhe conosco

O que é câncer colorretal? Março Azul

Câncer colorretal - Março Azul Marinho Hospital Clinerp

O que é câncer colorretal?

São tumores que acometem o intestino grosso que é subdividido em cólon e reto. Uma característica importantíssima desses tumores é que a maioria deles tem origem em pólipos que são pequenas elevações na parede do cólon e/ou do reto e que crescem muito lentamente, podendo levar muitos anos para se tornarem malignos. Isso permite que esses pólipos possam ser identificados e retirados antes de se transformarem em tumores malignos, através da colonoscopia.

Seguindo com o Calendário Colorido da Saúde, o mês de Março foi escolhido para colocar em foco o Câncer Colorretal.

Câncer Colorretal acomete uma parte do Intestino Grosso (o Cólon) e o Reto, nas regiões responsáveis pela absorção de água e que ligam o nosso sistema digestório ao ânus.

O Câncer Colorretal possui uma alta prevalência na população, o segundo tipo de câncer mais comum entre homens e mulheres. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de cólon e reto é o segundo mais frequente em homens (23,29/100 mil) e mulheres (23,86/100 mil) na Região Sudeste.

Estimativa 2018 - Incidência de câncer no Brasil MS-INCA
Fonte: Estimativa 2018 – Incidência de câncer no Brasil MS-INCA

Se descoberto de forma precoce este câncer é tratável e curável na maioria dos casos. Porém se detectado tardiamente pode causar metástase e atingir outros órgãos do corpo.

Na maioria das vezes ele se inicia a partir do pólipos, que são lesões benignas, porém alguns tipos de pólipos podem se transformar em câncer ao longo dos anos. Além disso, algumas patologias podem aumentar o risco do desenvolvimento deste problema como a presença de Câncer Colorretal Hereditário Não Poliposo (Síndrome de Lynch) e a Polipose Adenomatosa Familiar (PAF).

Fique atento, pois aproximadamente 20% dos pacientes com Câncer Colorretal ou Pólipos Adenomatosos têm história familiar dessas neoplasias em algum parente de primeiro grau (pai, irmãos ou filhos). Por isto é tão importante informar durante as consultas médicas os históricos familiares de câncer, e se você tiver um histórico fazer um acompanhamento periódico com o seu médico.

Há na LISTA DE PROCEDIMENTOS E EVENTOS EM SAÚDE da Agência Nacional de Saúde Suplementar as diretrizes para cobertura de exames relacionados ao HNPCC, presente no tópico 10.33 – SÍNDROME DE LYNCH – CÂNCER COLORRETAL NÃO POLIPOSO HEREDITÁRIO (HNPCC).

Diagnóstico

O diagnóstico do câncer colorretal se faz a partir da realização de exames.
O mais simples deles é o de sangue oculto nas fezes, porém este apresenta muitos resultados falsos positivos, por exemplo, no caso do paciente ter ingerido carne anteriormente à sua realização. Outros exames, como a sigmoidoscopia e colonoscopia (Endoscopia Digestiva Baixa) também são utilizados para diagnóstico e/ou controle, sendo o mais comum a colonoscopia, que permite visualizar o intestino e se o médico achar necessário, a retirada de pólipos (lesões pré-cancerosas).

O exame padrão, e que você certamente já ouviu falar, é a colonoscopia, que muitos chamam de ‘colono’. A partir deste método pode-se visualizar todo o intestino e, ainda, se retirar pólipos (lesões pré-cancerosas) que por ventura existam no órgão.

Caso seu médico solicite, a Clinerp pode ajudar com os exames laboratoriais ou Colonoscopia. Em caso de dúvidas sobre os exames, clique aqui para a página Fale Conosco e nos envie uma mensagem.